Palavra do Papa – 06 de novembro

31 de outubro de 2016 Doutrinas


Ângelus
Praça de São Pedro – Vaticano
Domingo, 6 de novembro de 2016
Queridos irmãos e irmãs, bom dia!
Poucos dias depois da festa de Todos os Santos e da Comemoração dos Fiéis Defuntos, a liturgia deste domingo nos convida mais uma vez para refletir sobre o mistério da ressurreição dos mortos. O Evangelho (cf. Lc 20,27-38) apresenta Jesus em comparação com alguns saduceus, que não acreditavam na ressurreição e concebiam a relação com Deus apenas na dimensão da vida terrena. E, em seguida, para ridicularizar a ressurreição e colocar Jesus em dificuldade, apresentam um caso paradoxal e absurdo: uma mulher que teve sete maridos, irmãos uns dos outros, que morrem um após o outro. E assim, a pergunta maliciosa dirigida a Jesus: aquela mulher, na ressurreição, é esposa de quem? (v 33).?
Jesus não cai na armadilha e reafirma a verdade da ressurreição, explicando que a existência após a morte será diferente do que na Terra. Ele deixa claro para seus interlocutores que não se pode aplicar as categorias deste mundo para as realidades que vão além e são maiores do que o que vemos nesta vida. Pois ele diz: “Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento; mas aqueles que forem julgados dignos da vida futura e da ressurreição dos mortos, nem se casam nem se dão em matrimônio”(vv. 34-35). Com estas palavras, Jesus pretende explicar que, neste mundo em que vivemos a realidade é temporária; depois da ressurreição, não teremos a morte como horizonte e viveremos tudo, até mesmo laços humanos, na dimensão de Deus, de uma forma transfigurada. Mesmo o casamento, sinal e instrumento do amor de Deus neste mundo, será transformado na luz e vai brilhar na comunhão gloriosa dos santos no céu.
Os “filhos do céu e da ressurreição” não são uns poucos privilegiados, mas eles são todos os homens e todas as mulheres, porque a salvação trazida por Jesus é para todos. E a vida de ressurreição será semelhante a dos anjos (cf. v. 36), isto é, todos imersos na luz de Deus, completamente dedicados a seu louvor, em uma eternidade cheia de alegria e paz. Mas tenha cuidado! A ressurreição não é apenas o fato da ressurreição após a morte, mas é um novo tipo de vida que vivemos já no hoje; é a vitória sobre qualquer coisa que já podemos antecipar. A ressurreição é o fundamento da fé e da esperança cristã! Se não houvesse nenhuma referência para o céu e para vida eterna, o cristianismo seria reduzido a ética, uma filosofia de vida. Em vez disso, a mensagem da fé cristã vem do céu, é revelado por Deus e está além deste mundo. Crer na ressurreição é essencial, de modo que, cada ato de amor cristão não é efémero e um fim em si próprio, mas torna-se uma semente destinada a florescer no jardim de Deus, e produzir frutos de vida eterna.
A Virgem Maria, Rainha do céu e da terra, confirme-nos na esperança da ressurreição e nos ajude a tornar fecunda em boas obras, a palavra de seu Filho semeada em nossos corações.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: