Palavra do Papa – 24 de dezembro de 2017

24 de dezembro de 2017 Doutrinas


ANGELUS

Praça de São Pedro
4º Domingo de Advento,
24 de dezembro de 2017

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Neste domingo que antecede o Natal, ouvimos o Evangelho da Anunciação (Lc 1, 26-38).

Nesta passagem evangélica podemos ver um contraste entre as promessas do anjo e a resposta de Maria. Esse contraste manifesta-se na dimensão e no conteúdo das expressões dos dois protagonistas. O anjo diz a Maria: “Não tenha medo, Maria, porque você encontrou graça diante de Deus. E eis que você conceberá um filho, dará à luz e o chamará de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo; O Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai, e reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim”. É uma longa revelação, que abre perspectivas inauditas. A criança que nascerá desta humilde menina de Nazaré será chamada de Filho do Altíssimo: não é possível conceber uma dignidade maior do que esta. E depois da pergunta de Maria, com a qual pede explicações, a revelação do anjo se torna ainda mais detalhada e surpreendente.

A resposta de Maria é uma frase curta, que não fala de glória, não fala de privilégio, mas apenas de disponibilidade e serviço: “Eis a serva do Senhor: faça em mim de acordo com a sua palavra” . O conteúdo também é diferente. Maria não se exalta pela perspectiva de se tornar a mãe do Messias, mas permanece modesta e expressa sua adesão ao plano do Senhor. Maria não se vangloria. É humilde, modesta. Ela permanece como sempre.

Esse contraste é significativo. Isso nos faz entender que Maria é realmente humilde. Ela reconhece que é pequena diante de Deus, e está feliz por ser assim. Ao mesmo tempo, ela está ciente de que, da sua resposta, depende a realização do plano de Deus e, portanto, ela é chamada a aderir a ela com todo o seu ser.

Nessa circunstância, Maria se apresenta com uma atitude que corresponde perfeitamente à do Filho de Deus quando ele vem para o mundo: quer tornar-se Servo do Senhor, colocar-se ao serviço da humanidade para cumprir o plano do Pai. Maria diz: “Eis a serva do Senhor”; e o Filho de Deus, entrando no mundo, diz: “Eis que eu venho […] fazer, ó Deus, a vossa vontade” (Hebreus 10,7.9). A atitude de Maria reflete plenamente esta declaração do Filho de Deus, que também se torna um filho de Maria. Assim, Nossa Senhora revela-se como uma colaboradora perfeita do plano de Deus e revela-se discípula de seu Filho e, no Magnificat, pode proclamar que “Deus exaltou os humildes”, porque com essa resposta humilde e generosa, ela obteve uma alegria muito alta, e também uma glória muito alta.

Ao admirar a nossa Mãe por essa resposta ao chamado e missão de Deus, pedimos que ela ajude cada um de nós a receber o plano de Deus em nossas vidas, com humildade sincera e generosidade corajosa.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: