Palavra do Papa –13 de agosto

14 de agosto de 2017 Doutrinas

Papa Francesco - 31 de julho de 2016

ANGELUS
Praça São Pedro – Domingo, 13 de agosto, 2017

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!
O Evangelho de hoje descreve o episódio de Jesus, que, depois de orar por toda a noite na margem do lago da Galiléia, vai para o barco dos seus discípulos caminhando sobre a água. O barco parou por um vento forte. Quando eles vêem Jesus caminhando sobre as águas, o confundem com um fantasma e se assustam. Mas Ele assegura-lhes: “Coragem, sou eu, não tenhais medo!” Pedro, em sua impetuosidade típica, diz: “Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas”; e Jesus o chama “Vem!” Pedro pula fora do barco e começa a andar sobre a água em direção a Jesus; mas devido ao vento que agita a água, começa a afundar. Em seguida, ele grita: “Senhor, salva-me!” E Jesus alcança e agarra-o.
Esta história do Evangelho contém um rico simbolismo e nos faz refletir sobre a nossa fé, tanto como indivíduos, quanto comunidade da igreja. A comunidade, esta comunidade igreja tem fé? Como é a fé em nós e a fé de nossa comunidade? O barco é a vida de cada um de nós, mas também é a vida da Igreja; o vento de proa são as dificuldades e as tribulações. A invocação de Pedro: “Senhor, manda-me ir ter contigo!” E seu grito: “Senhor, salva-me!” parecem muito ao nosso desejo de sentir a proximidade do Senhor, mas também o medo e a ansiedade que acompanham os momentos mais difíceis de nossas vidas e de nossas comunidades, marcada pela fraqueza interna e dificuldades externas.
Para Pedro, nesse momento, não basta a palavra segura de Jesus, que era como a corda estendida à qual agarrar-se para enfrentar as águas hostis e turbulentas. É o que pode acontecer a nós quando não se agarra à palavra do Senhor, mas se consultam horóscopos e cartomantes, começa-se a ir para o fundo. Isto significa que a fé não é tão forte. O Evangelho de hoje nos recorda que a fé no Senhor e na sua palavra não nos abre um caminho onde tudo é fácil e tranquilo, não nos poupa das tempestades da vida, mas que a fé nos dá a segurança de uma Presença que nos leva a superar as tormentas existenciais, a certeza de uma mão que nos agarra para ajudar-nos a enfrentar as dificuldades, indicando-nos o caminho, mesmo quando é escuro. Portanto, a fé não é uma escapatória dos problemas da vida, mas sustenta no caminho e lhe dá um sentido.
Este episódio é uma imagem da maravilhosa realidade da Igreja de todos os tempos: um barco ao longo da travessia, também enfrenta ventos contrários e tempestades que ameaçam dominá-la. O que salva é a coragem e a qualidade de seus homens: a garantia contra naufrágio é a fé em Cristo e sua palavra. Esta é a garantia: a fé em Jesus e em Sua Palavra. Sobre esta barca estamos a seguro, apesar de nossas misérias e fraquezas, sobretudo quando nos colocamos de joelhos e adoramos o Senhor, como os discípulos que, no final, prostraram–se diante dele, dizendo:” Verdadeiramente tu és o Filho de Deus”. Como é maravilhoso Jesus dizer esta palavra: “Verdadeiramente tu és o Filho de Deus!”. O que dizemos juntos, todo mundo? “Verdadeiramente tu és o Filho de Deus!”.

Que a Virgem Maria nos ajude a perseverar firmemente na fé para suportar as tempestades da vida, para ficar no barco da Igreja evitando a tentação de ir subir em barcos sedutores, mas inseguros das ideologias, das modas e dos slogans.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: