Palavra do Papa – 06 de agosto

7 de agosto de 2017 Doutrinas


ANGELUS

Praça São Pedro – Vaticano Domingo, 6 de agosto, 2017
Queridos irmãos e irmãs, bom dia!
Neste domingo, a liturgia celebra a festa da Transfiguração do Senhor. O Evangelho de hoje relata que os apóstolos Pedro, Tiago e João foram testemunhas deste evento extraordinário. Jesus levou-os levou a um alto monte e, enquanto orava, seu rosto mudou de aparência, brilhando como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz . Em seguida, apareceram Moisés e Elias, e entrou em diálogo com ele. Neste ponto, Pedro disse a Jesus: “Senhor, é bom estarmos aqui! Se você quiser, farei aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias “. Antes que ele acabasse de falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu.
O evento da Transfiguração do Senhor nos dá uma mensagem de esperança – assim estaremos, com ele -: convida-nos a ir ao encontro de Jesus, para estar ao serviço dos outros.
A subida dos discípulos para o Monte Tabor nos leva a refletir sobre a importância de romper com as coisas do mundo, para fazer um caminho para o alto e contemplar Jesus. Trata-se de colocar-se à escuta atenta e orante de Cristo, o Filho amado do Pai, buscando momentos íntimos de oração que permitam a acolhida dócil e alegre da Palavra de Deus. Esta ascensão espiritual, neste desprendimento das coisas terrenas, somos chamados a redescobrir o silêncio calmante e regenerador da meditação do Evangelho, a leitura da Bíblia , levando a um destino rico para a beleza, esplendor e alegria. E quando nos colocamos assim, com a Bíblia na mão, em silêncio, começamos a sentir essa beleza interior, essa alegria que nos dá a Palavra de Deus em nós.
Nesta perspectiva, o tempo do verão é um momento providencial para aumentar o nosso compromisso de busca e de encontro com o Senhor. Durante este tempo, – recordou ainda o Papa fazendo referência ao verão no hemisfério norte – os estudantes estão livres de compromissos escolares e tantas famílias fazem suas férias. É importante que durante o período de descanso e de distanciamento das ocupações diárias, se possam regenerar as forças do corpo e do espírito, aprofundando o caminho espiritual
No final dessa maravilhosa experiência da Transfiguração, os discípulos, ao descer da montanha tinham olhos e coração transfigurados pelo encontro com o Senhor. É o caminho que pode nos levar. A redescoberta sempre viva de Jesus não é um fim em si, mas nos conduz a descer da montanha, recarregados com a força do Espírito Divino, para decidir novos passos de autêntica conversão e para testemunhar constantemente a caridade como lei de vida cotidiana. Transformado pela presença de Cristo e o ardor da sua palavra, vamos ser um sinal concreto do amor vivificante de Deus para todos os nossos irmãos, especialmente aqueles que sofrem, aos que vivem em solidão e abandono, pelos enfermos e pela multidão de homens e mulheres que, em diferentes partes do mundo são humilhados pela injustiça, arrogância e violência.

Na Transfiguração ouvimos a voz do Pai celeste que diz: “Este é o meu Filho amado. Escutai-o!”. Vamos olhar para Maria, a Virgem, sempre pronta para acolher e valorizar em nossos corações cada palavra do divino Filho. Queremos que a nossa Mãe e Mãe de Deus nos ajude a entrar em sintonia com a Palavra de Deus, para que Cristo torne-se a luz e guia de toda a nossa vida.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: