Palavra do Papa – 01 de janeiro de 2018

1 de janeiro de 2018 Doutrinas


SOLENIDADE DE MARIA A MÃE DE DEUS DIA MUNDIAL DA PAZ

ANGELUS
Praça São Pedro
segunda-feira, 1 de janeiro de 2018.

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Na primeira página do calendário do novo ano que o Senhor nos dá, a Igreja coloca, a solenidade litúrgica de Maria Santíssima Mãe de Deus. Neste primeiro dia do ano, fixamos nosso olhar sobre ela, para, sob sua proteção materna, seguir o caminho ao longo dos caminhos do tempo.

O Evangelho de hoje ( Lc 2, 16-21) nos traz de volta ao estábulo de Belém. Os pastores chegam rapidamente e encontram Maria, José e a criança; e eles relatam o anúncio dado pelos anjos, isto é, que o recém nascido é o Salvador. Todos ficam atônitos, enquanto ” Maria, por sua vez, manteve todas essas coisas, ponderando-as em seu coração ” (v. 19). A Virgem nos faz entender como aceitar o evento de Natal: não superficialmente, mas no coração. Ela nos mostra a verdadeira maneira de receber o dom de Deus: mantê-lo no coração e meditar nele. É um convite dirigido a cada um de nós para orar contemplando e provando esse presente que é o próprio Jesus.

É através de Maria que o Filho de Deus assume a humanidade. Mas a maternidade de Maria não é reduzida a isso: graças a sua fé , ela também é o primeiro discípulo de Jesus e isso “expande” sua maternidade. Será a fé de Maria que provocará o primeiro “sinal” milagroso em Caná, que ajudará a despertar a fé dos discípulos. Com a mesma fé, Maria está presente no pé da cruz e recebe o apóstolo João como filho; e, finalmente, após a Ressurreição, ela se torna uma mãe orante da Igreja quando o Espírito Santo desce com poder no dia de Pentecostes.

Como mãe, Maria desempenha uma função muito especial: ela se coloca entre o seu Filho Jesus e os homens na realidade de suas privações, na realidade de suas indigências e sofrimentos. Maria intercede, como em Cana, consciente de que, como mãe, ela pode, de fato, fazer presente ao Filho as necessidades dos homens, especialmente os mais fracos e os mais desfavorecidos. E precisamente para essas pessoas é dedicado o tema do Dia Mundial da Paz que celebramos hoje: ” Migrantes e refugiados: homens e mulheres que procuram paz”. Este é o lema deste dia. Gostaria de mais uma vez, expressar esses irmãos e irmãs que pedem um horizonte de paz para o futuro deles. Por esta paz, que é o direito de todos, muitos deles estão dispostos a arriscar suas vidas em uma jornada que na maioria dos casos é longa e perigosa. Eles estão prontos para enfrentar dificuldades e sofrimentos.

Por favor, não apague a esperança em seus corações;  não sufoquemos suas expectativas de paz! É importante que todos, as instituições civis, a educação, o bem-estar e as realidades eclesiais se comprometam em garantir aos refugiados, aos migrantes e a todos um futuro de paz. Que o Senhor conceda-nos trabalhar neste ano novo com generosidade, para criar um mundo mais solidário e acolhedor. Convido você a orar por isso, enquanto junto com você confio a Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, o 2018 acaba de começar. Os antigos monges russos, místicos, disseram que, em tempos de turbulência espiritual, era necessário reunir-se sob o manto da Santa Mãe de Deus. Pensando na turbulência de hoje e especialmente nos migrantes e refugiados, rezamos enquanto nos ensinavam a orar: “À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita!”

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: