ANGELUS – 23 de Junho de 2019

26 de junho de 2019 Doutrinas


Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje, na Itália e em outras nações, celebra-se a solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, Corpus Domini . O Evangelho nos apresenta o episódio do milagre dos pães (ver Lc9,11-17), que ocorre na margem do lago da Galiléia. Jesus tem a intenção de falar para milhares de pessoas, fazendo curas. Ao anoitecer, os discípulos aproximam-se do Senhor e dizem-lhe: “Desista da multidão para ir às aldeias e à paisagem circundante, para alojar e encontrar comida” (v. 12). Até os discípulos estavam cansados. Na verdade, eles estavam em um lugar isolado, e as pessoas tinham que andar e ir às aldeias para comprar comida. E Jesus vê isso e responde: “Você lhes dá comida” (v. 13). Essas palavras provocam o espanto dos discípulos. Eles não entenderam, talvez eles também estivessem zangados, e eles responderam: “Temos apenas cinco pães e dois peixes, a menos que vamos comprar comida para todas essas pessoas” ( ibid. ).

Em vez disso, Jesus convida seus discípulos a fazer uma verdadeira conversão da lógica de “cada um por si” para o de compartilhar, a partir do pouco que a Providência nos disponibiliza. E ele imediatamente mostra que ele é claro sobre o que ele quer fazer. Ele diz a eles: “Deixe-os sentar em grupos de cerca de cinquenta” (v. 14). Então ele pega em suas mãos os cinco pães e os dois peixes, se volta para o Pai celestial e pronuncia a oração de bênção. Portanto, ele começa a quebrar os pães, dividir os peixes e entregá-los aos discípulos, que os distribuem à multidão. E essa comida não termina até que todos estejam satisfeitos.

Este milagre – muito importante, tanto que é dito por todos os evangelistas – manifesta o poder do Messias e, ao mesmo tempo, sua compaixão: Jesus tem compaixão do povo. Esse gesto prodigioso não só permanece como um dos grandes sinais da vida pública de Jesus, mas antecipa o que acabará por ser o memorial do seu sacrifício, ou seja, a Eucaristia, o sacramento do seu Corpo e do seu Sangue, dado para a salvação dos homens. mundo.

A Eucaristia é a síntese de toda a existência de Jesus, que foi um ato único de amor pelo Pai e pelos irmãos. Lá também, como no milagre da multiplicação dos pães, Jesus pegou o pão em suas mãos, elevou a oração de bênção ao Pai, partiu o pão e o deu aos discípulos; e ele fez o mesmo com o copo de vinho. Mas naquele momento, na véspera de sua paixão, ele queria deixar naquele gesto o Testamento da nova e eterna aliança, um memorial perpétuo de sua Páscoa de morte e ressurreição. A festa de Corpus Christiconvida-nos todos os anos a renovar a maravilha e a alegria por este maravilhoso dom do Senhor, que é a Eucaristia. Vamos recebê-lo com gratidão, não de maneira passiva e habitual. Não devemos nos acostumar com a Eucaristia e ir nos contar como por hábito: não! Sempre que nos aproximamos do altar para receber a Eucaristia, devemos verdadeiramente renovar nosso “amém” para o Corpo de Cristo. Quando o padre nos diz “o Corpo de Cristo”, dizemos “amém”: mas é um “amém” que vem do coração, convencido. É Jesus, é Jesus quem me salvou, é Jesus quem vem me dar força para viver. É Jesus, vivendo Jesus. Mas não devemos nos acostumar com isso: toda vez como se fosse a primeira comunhão.

Expressão da fé eucarística do povo santo de Deus são as procissões com o Santíssimo Sacramento, que acontecem em toda a Igreja Católica nesta Solenidade. Eu também vou celebrar a missa nesta noite no bairro romano de Casal Bertone, seguido de uma procissão . Convido todos a participar, mesmo espiritualmente, através do rádio e da televisão. Que Nossa Senhora nos ajude a seguir Jesus com fé e amor a quem adoramos na Eucaristia.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: