ANGELUS – 22 de abril de 2019 – Segunda-feira do Anjo

22 de abril de 2019 Doutrinas


Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje, e ao longo desta semana, a alegria pascal da ressurreição de Jesus, cujo maravilhoso acontecimento celebramos ontem, continua na liturgia, mesmo na vida. Na vigília pascal as palavras faladas pelos anjos perto do túmulo vazio de Cristo ressoaram. Às mulheres que tinham ido ao sepulcro de madrugada no primeiro dia depois do sábado, disseram: “Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo? Ele não está aqui, ele ressuscitou “( Lc24,5-6). A ressurreição de Cristo constitui o acontecimento mais chocante da história humana, que atesta a vitória do amor de Deus sobre o pecado e a morte e dá à nossa esperança de vida uma base sólida como a rocha. O que era humanamente impensável aconteceu: “Jesus de Nazaré […] Deus o levantou, libertando-o das dores da morte” ( Atos 2,22.24).

Nesta segunda-feira do “Anjo”, a liturgia, com o Evangelho de Mateus (veja 28.8-15), nos leva de volta ao túmulo vazio de Jesus, e nos fará bem ir com o pensamento ao túmulo vazio de Jesus. cheios de medo e alegria, eles estão fugindo para levar a notícia aos discípulos de que a tumba estava vazia; e nesse momento Jesus aparece diante deles. Eles “vieram e abraçaram seus pés e o adoraram” (v. 9). Eles o tocaram: ele não era um fantasma, ele era Jesus, vivo, com carne, ele era, Jesus lança medo de seus corações e os encoraja ainda mais a anunciar aos irmãos o que aconteceu. Todos os Evangelhos destacam o papel das mulheres, Maria de Magdala e as outras, como as primeiras testemunhas da ressurreição. Os homens, assustados, foram fechados no cenáculo. Pedro e João, advertidos pela Madalena, eles fazem apenas uma rápida surtida, na qual descobrem que a tumba está aberta e vazia. Mas foram as mulheres que conheceram o Ressuscitado pela primeira vez e trouxeram o anúncio de que ele está vivo.

Hoje, queridos irmãos e irmãs, as palavras de Jesus dirigidas às mulheres também ressoam para nós: “Não tenha medo; vai e anuncia … “(v. 10). Depois dos ritos do tríduo pascal, que nos fizeram reviver o mistério da morte e ressurreição de nosso Senhor, agora com os olhos da fé o contemplamos ressuscitado e vivo. Nós também somos chamados a encontrá-lo pessoalmente e nos tornar seus anunciadores e testemunhas.

Com a antiga seqüência litúrgica da Páscoa, repetimos nestes dias: “Cristo, minha esperança, ressuscitou!” E Nele nós também somos ressuscitados, passando da morte para a vida, da escravidão do pecado para a liberdade do amor. Permita-nos, portanto, alcançar a mensagem reconfortante da Páscoa e nos envolver em sua luz gloriosa, que dissipa as trevas do medo e da tristeza. Jesus ressuscitado caminha ao nosso lado. Ele se manifesta para aqueles que o invocam e amam. Primeiro de tudo em oração, mas também em simples alegrias vividas com fé e gratidão. Podemos senti-lo presente também compartilhando momentos de cordialidade, bem-vindo, amizade, contemplação da natureza. Este dia de celebração, em que é costume desfrutar de um pouco de lazer e gratuidade, ajuda-nos a experimentar a presença de Jesus.

Peçamos que a Virgem Maria seja capaz de atrair plena paz e serenidade, dons do Ressuscitado, para compartilhá-los com os irmãos, especialmente aqueles que mais necessitam de conforto e esperança.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: