Congresso Eucarístico Nacional de Belém

23 de agosto de 2016 Notícias

Congresso Eucarístico Nacional de Belém

O primeiro Congresso Eucarístico foi celebrado em 1881 em Lille (França), por iniciativa de um grupo de fiéis leigos, apoiados por São Pedro Julião Eymard. Foi uma celebração solene, de que participaram fiéis e bispos de vários países da Europa. De lá para cá, outros países quiseram repetir a bela iniciativa. Deste modo reafirmamos nossa certeza de vida eterna, para além dos horizontes de nossa história! A partir dessa profissão explicita de nossa fé na Eucaristia, o Congresso Eucarístico busca as consequências práticas, o compromisso desse gesto tão sublime de adoração! Adorareis o Senhor em Espírito e Verdade (Cf. Jo 4, 24).

No Brasil já foram realizados dezesseis Congressos Eucarísticos Nacionais. O primeiro foi realizado em 1933, em Salvador – BA; o XVI Congresso Eucarístico Nacional, em Brasília, de 13 a 16 de Maio de 2010, tendo como Tema: Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos Missionários, inspirado na V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe, que aconteceu em Aparecida em maio de 2007. Em Aparecida, apresentou-se a riqueza da existência cristã a partir do binômio “discípulo missionário”. O discípulo missionário de Jesus Cristo se alimenta do Pão Eucarístico, para que possa fortalecer-se na fé, na esperança e na caridade e não desfaleça por causa as dificuldades do caminho. A Eucaristia é fonte e cume gerando a unidade da Igreja: Jesus Cristo, pelo Sacramento do seu Corpo e Sangue, cria a comunhão da sua Igreja, seu Corpo Místico. Em 1953 já se celebrou um Congresso Eucarístico Nacional, o sexto Congresso, que teve como tema: “A Sagrada Eucaristia, sacramento da unidade e da comunidade”.

O Congresso Eucarístico Nacional de Belém vai acontecer entre os dias 15 até 21 de agosto. Diz o Texto Base que: “O XVII Congresso Eucarístico Nacional, a ser realizado na Arquidiocese de Belém – Casa do Pão, nos quatrocentos anos do início da Evangelização da Amazônia e da fundação da cidade de Santa Maria de Belém do Grão Pará, quer ser, para todas as pessoas que o celebrarem conosco, a festa da partilha do Pão da Vida, que é Jesus, a fim de que daqui brote a vida nova, nascida do Altar, para nossa Pátria”(Cf. fl. 60 do Texto Base).

Os pontos principais a serem trabalhados no XVII Congresso Eucarístico Nacional serão os seguintes: 1- “Jerusalém: O Mistério da Eucaristia: Teologia”, 2- “Emaús: Fundamentação Bíblica: “Ele o reconheceram no partir do pão” (Lema do Congresso)”, 3- “Belém, Casa do Pão: Eucaristia, fonte de Comunhão e partilha na Amazônia Missionária (Tema do Congresso)”, 4- “Nazaré: Desdobramentos pastorais: “Voltaram à Galileia”.

Quanto a Eucaristia essa ocupa o centro da vida cristã. Pelo sacramento do pão eucarístico, ao mesmo tempo é representada e se realiza a unidade dos fiéis, que constituem um só corpo em Cristo (cf. 1Cor 10, 17)” (Ecclesia de Eucaristia, 21). Eis: comungando no mesmo pão e no mesmo cálice, Corpo e Sangue do Senhor, pleno do Espírito Santo, nós somos misteriosa e realmente unidos a Cristo e, no seu Espírito, unidos uns aos outros. É esta contínua união de todos os comungantes com o Senhor e entre si que faz a Igreja manter-se unida e crescer no único Espírito. Eis o motivo pelo qual podemos dizer que a Eucaristia faz a Igreja. Por isso, o celebrante suplica ao Pai que o Espírito nos uma num só Corpo” (Oração Eucarística II).

De que corpo se fala aqui? Do Corpo eucarístico do Senhor e, ao mesmo tempo do corpo eclesial do Senhor: comungando o Corpo eucarístico, tornamo-nos corpo de Cristo, que é a Igreja. De tal modo este Sacramento é sinal e instrumento de unidade, que o Papa São Leão Magno exortava: “Comei deste Pão e não vos separareis; bebei deste Cálice e não vos desagregareis”. A Eucaristia é, portanto, sacramento, isto é, sinal eficaz, da comunhão da Igreja.

A Igreja, desde a Antiguidade, foi chamada Comunhão dos Santos, porque nasce da comunhão daqueles que participam das Coisas santas, isto é, do Corpo e Sangue de Cristo. O Catecismo da Igreja Católica afirma que a Eucaristia é chamada também de comunhão, porque é por este sacramento que nos unimos a Cristo, que nos torna participantes do seu Corpo e do seu Sangue para formarmos um só corpo denomina-se ainda ‘as coisas santas’ – este é o sentido primeiro da ‘comunhão dos santos’ de que fala o Símbolo dos Apóstolos – pão dos anjos, pão do céus, remédio de imortalidade, viático…” (n. 1331).

Fração do Pão eucarístico estava ligada à comunhão na mesma doutrina dos apóstolos e exigia, como consequência, a partilha dos bens, de modo que, em qualquer tempo, uma comunidade que parta e reparta o Pão eucarístico, mas se negue a colocar em comum talentos, ideias e bens, procurando suprir, o quanto possível, os mais fracos e carentes, é uma comunidade indigna de celebrar a Eucaristia.

É justamente por a Eucaristia ser o centro da vida da Igreja e de nossas vidas que aqui na Igreja no Brasil, assim temos este grande evento chamado Congresso Eucarístico nacional. Tudo isso para refletir e adorar ainda mais Jesus sacramentado, nosso Deus amado!

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/1370/congresso-eucaristico-nacional-de-belem

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: