Palavra do Papa – Angelus – 28 de Outubro de 2018

28 de outubro de 2018 Doutrinas

Palavra do Papa - Angelus - 28 de Outubro de 2018

ANGELUS

Praça de São Pedro  –  Domingo, 28 de outubro de 2018

Queridos irmãos e irmãs, bom dia

Nesta manhã, na Basílica de São Pedro, celebramos a Missa de encerramento da Assembleia do Sínodo dos Bispos dedicada aos jovens. A primeira leitura do profeta Jeremias, foi particularmente entoada neste momento, porque é uma palavra de esperança que Deus dá ao seu povo. Uma palavra de consolo, fundada no fato de que Deus é um pai para seu povo, o ama e o trata como um filho; Ele abre diante dele um horizonte do futuro, uma via acessível e praticável na qual “o cego e o aleijado, a mulher grávida e a mulher em trabalho de parto”, isto é, pessoas em dificuldade, podem andar. Porque a esperança de Deus não é uma miragem, como certas publicidades onde todos são saudáveis ​​e belos, mas é uma promessa para pessoas reais, com forças e fraquezas, potencialidade e fragilidade, como todos nós: a esperança de Deus é uma promessa para pessoas como nós.

Esta Palavra de Deus expressa bem a experiência que vivemos durante as semanas do Sínodo: foi um tempo de consolação e esperança. Primeiro de tudo, foi um momento de escuta. De fato, ouvir requer tempo, atenção, abertura de mente e coração. Mas esse compromisso foi transformado diariamente em consolo, sobretudo porque tivemos entre nós a presença animada e estimulante dos jovens, com suas histórias e contribuições. Através dos testemunhos dos Padres Sinodais, a realidade multifacetada das novas gerações entrou no Sínodo, por assim dizer, de todos os lados: de todos os continentes e de muitas situações humanas e sociais diferentes.

Com essa atitude fundamental de escuta, tentamos ler a realidade, apreender os sinais de nossos tempos. O discernimento comunitário, feito à luz da Palavra de Deus e do Espírito Santo. Este é um dos mais belos presentes que o Senhor faz à Igreja Católica, isto é, reunir vozes e rostos das mais variadas realidades e assim tentar uma interpretação que leve em conta a riqueza e a complexidade dos fenômenos, sempre à luz do Evangelho. Assim, nestes dias, discutimos como caminhar juntos através de muitos desafios, como o mundo digital, o fenômeno da migração, o sentido do corpo e da sexualidade, o drama das guerras e da violência.

Os frutos deste trabalho já estão “fermentando”, assim como o suco de uva nos barris após a colheita. O Sínodo da Juventude foi uma boa colheita e promete bom vinho. Mas gostaria de dizer que o primeiro fruto desta Assembleia Sinodal deveria ser precisamente o exemplo de um método que tentamos seguir, desde a fase preparatória. Um estilo sinodal que não tem como objetivo principal a elaboração de um documento, que também é valioso e útil. Mais do que o documento, no entanto, é importante que se espalhe um modo de ser e trabalhar juntos, jovens e idosos, na escuta e no discernimento, para alcançar escolhas pastorais que respondam à realidade.

Por isso, invocamos a intercessão da Virgem Maria. A ela, que é a Mãe da Igreja, confiamos a ação de graças a Deus pelo dom desta Assembleia Sinodal. E você nos ajuda agora a levar adiante o que foi experimentado, sem medo, na vida cotidiana das comunidades. O Espírito Santo faça crescer o fruto do nosso trabalho com a sua sábia imaginação, continuando a caminhar junto com os jovens de todo o mundo.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: