Palavra do Papa – 31 de dezembro de 2017

31 de dezembro de 2017 Doutrinas


FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA DE NAZARÉ

ANGELUS
Praça São Pedro
domingo, 31 de dezembro de 2017.

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Neste primeiro domingo após o Natal, celebramos a Sagrada Família de Nazaré, e o Evangelho convida-nos a refletir sobre a experiência vivida por Maria, José e Jesus, enquanto eles vivem juntos como uma família em mútuo amor e confiança em Deus. A confiança é uma expressão do rito realizado por Maria e José com a oferta de seu filho Jesus a Deus. O Evangelho diz: “Eles trouxeram o filho a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor” (Lc 2, 22), conforme exigido pela lei mosaica. Os pais de Jesus vão ao templo para certificar que a criança pertence a Deus e que eles são os guardiões de sua vida e não os donos. E isso nos faz refletir. Todos os pais são guardiões da vida de seus filhos, não proprietários, e devem ajudá-los a crescer, amadurecer.

Este gesto enfatiza que somente Deus é o Senhor da história individual e familiar; tudo vem de Deus. Cada família é chamada a reconhecer esse primado, protegendo e educando as crianças para se abrirem a Deus, que é a própria fonte da vida. Daqui vem o segredo da juventude interior, paradoxalmente testemunhado no Evangelho por um casal idoso, Simeão e Ana. O antigo Simeão, em particular, inspirado pelo Espírito Santo diz sobre o filho Jesus: “Ele está aqui para a queda e ressurreição de muitos em Israel e como sinal de contradição para que os pensamentos de muitos corações sejam revelados” ( v. 34-35).

Essas palavras proféticas revelam que Jesus veio derrubar as imagens falsas que fazemos de Deus e de nós mesmos; para “contradizer” as certezas mundanas sobre as quais reivindicamos nos apoiar; para nos fazer “ressuscitar” para uma verdadeira jornada humana e cristã baseada nos valores do Evangelho. Não há uma situação familiar que seja impedida neste novo caminho de renascimento e ressurreição. E toda vez que as famílias, mesmo as feridas e marcadas pela fragilidade, fracasso e dificuldade, retornam à fonte da experiência cristã, novos caminhos e possibilidades inimagináveis ​​se abrem.

A história evangélica de hoje informa que Maria e José, “quando cumpriram todas as coisas de acordo com a lei do Senhor, voltaram para a Galiléia, para a cidade de Nazaré. A criança cresceu – diz o Evangelho – e se fortaleceu, cheia de sabedoria, e a graça de Deus estava sobre ele “(versículos 39-40). Uma grande alegria da família é o crescimento das crianças, todos nós a conhecemos. Eles estão destinados a se desenvolver e a se fortalecer, adquirir sabedoria e receber a graça de Deus, assim como aconteceu com Jesus. Ele é verdadeiramente um de nós: o Filho de Deus se torna um filho, aceita crescer, fortalecer-se, adquirir sabedoria e receber a graça de Deus. Maria e José têm a alegria de ver tudo isso em seu filho; e esta é a missão a que a família está orientada: criar as condições favoráveis ​​para o crescimento harmonioso e pleno das crianças, para que possam viver uma vida boa, digna de Deus e construtiva para o mundo.

Este é o desejo que hoje dirijo a todas as famílias, acompanhando-o com a invocação a Maria, Rainha da Família.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: