Palavra do Papa – 5 de março

6 de março de 2017 Doutrinas


ANGELUS

Vaticano – Praça São Pedro – Primeiro domingo da Quaresma, 05 de março de 2017

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Neste primeiro domingo da Quaresma, o Evangelho nos leva no caminho rumo à Páscoa, mostrando que Jesus permanece por quarenta dias no deserto, sujeito às tentações do diabo (cf. Mt 4,1-11). Este incidente vem em um momento preciso na vida de Jesus depois de seu batismo no rio Jordão e antes do Ministério Público. Ele acaba de receber a investidura solene: o Espírito de Deus desceu sobre Ele, o Pai do céu declarou-o “o meu Filho amado” (Mateus 3:17). Jesus está agora pronto para começar a sua missão; e uma vez que tem um inimigo declarado, ou seja, Satanás, Ele lida com essa missão imediatamente, “corpo a corpo”. O diabo faz de alavanca o título de “Filho de Deus” para remover Jesus no cumprimento de sua missão: “Se és o Filho de Deus …”, ele repete, e pretende fazer gestos milagrosos – de fazer o “mágico” – como transformar pedras em pão para satisfazer sua fome, e saltar fora das paredes do templo e serem salvos por anjos. A estas duas tentações, segue a terceira: a adorá-lo, o diabo, para ter domínio sobre o mundo (cf. v. 9).
Mediante essa tentação tripla, Satanás quer desviar Jesus do caminho da obediência e humildade – porque ele sabe que, desta forma, o mal será derrotado – e levá-lo no falso atalho para o sucesso e glória. Mas as setas venenosas do diabo são todas “paradas” por Jesus com o escudo da Palavra de Deus (vv. 4.7.10) que expressa a vontade do Pai. Jesus não diz nenhuma palavra possui: responde apenas com a Palavra de Deus e assim o Filho, cheio do Espírito Santo, sai vitorioso do deserto…
Durante os quarenta dias da Quaresma, como cristãos, somos chamados a seguir os passos de Jesus e enfrentar a batalha espiritual contra o mal com o poder da Palavra de Deus. Não com a nossa palavra. Com a Palavra de Deus que tem o poder para derrotar Satanás. Para isto é preciso familiarizar-se com a Bíblia, lê-la muitas vezes, meditá-la, assimilá-la. A Bíblia contém a Palavra de Deus, que é sempre presente e eficaz. Alguém disse: o que aconteceria se tratássemos a Bíblia como nós tratamos o nosso celular? Se a levássemos sempre conosco (ou pelo menos um Evangelho de bolso), o que aconteceria? Se voltássemos quando a esquecemos, se a abríssemos várias vezes por dia; se lêssemos as mensagens de Deus contidas na Bíblia como lemos as mensagens em nosso celular, o que aconteceria? É uma comparação paradoxal, mas faz pensar…” Na verdade, se tivéssemos a Palavra de Deus sempre no nosso coração, nenhuma tentação poderia nos afastar de Deus e nenhum obstáculo nos desviaria do caminho do bem; saberíamos vencer as propostas do Mal que está dentro e fora de nós; e seríamos mais capazes de viver uma vida ressuscitada segundo o Espírito, acolhendo e amando nossos irmãos, especialmente os mais frágeis e carentes, inclusive nossos inimigos.
Que a Virgem Maria, ícone perfeito da obediência a Deus e da confiança incondicional à sua vontade, nos mantenha no nosso caminho quaresmal, para que nos coloquemos na escuta dócil da Palavra de Deus, para fazer uma verdadeira mudança de coração.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: