Palavra do Papa – 14 de janeiro de 2018

14 de janeiro de 2018 Doutrinas

Palavra do Papa - 14 de janeiro de 2018

ANGELUS

Praça de São Pedro

Domingo, 14 de janeiro de 2018

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

Como na festa da Epifania e na festa do Batismo de Jesus, também a página do Evangelho de hoje  propõe o tema da manifestação do Senhor. Desta vez é João Batista quem o aponta para seus discípulos como “o Cordeiro de Deus”, convidando-os a segui-lo. E assim é para nós: Aquele que contemplamos no mistério do Natal, agora somos chamados para segui-lo na vida cotidiana. Portanto, o Evangelho de hoje nos introduz perfeitamente no tempo litúrgico comum, tempo que serve para animar e verificar a nossa jornada de fé na vida habitual, numa dinâmica que se move entre a epifania e a sequela, entre a manifestação e a vocação.

A história do Evangelho indica as características essenciais do itinerário da fé. Há um itinerário de fé, e este é o itinerário dos discípulos de todos os tempos, também o nosso, a partir da pergunta que Jesus dirige aos dois que, pressionados pelo Batista, vem segui-lo: “O que você está procurando?”  É a mesma pergunta que, na manhã de Páscoa, o Senhor ressuscitado dirigirá a Maria Madalena: “Mulher, quem está procurando?” (Jo 20, 15). Cada um de nós, como ser humano, está procurando: a busca da felicidade, a busca pelo amor, para uma vida boa e plena. Deus, o Pai, nos deu tudo isso em seu filho Jesus.

Nesta busca, o papel de um verdadeiro testemunho, de uma pessoa que primeiro fez a jornada e conheceu o Senhor é fundamental. No Evangelho, João Batista é essa testemunha. É por isso que ele pode dirigir os discípulos a Jesus, que os envolve em uma nova experiência dizendo: “Venha e veja”. E esses dois não poderão mais esquecer a beleza desse encontro, até o ponto em que o evangelista ainda anota o tempo: “Quase quatro horas da tarde” (ibid.). Apenas um encontro pessoal com Jesus gera uma jornada de fé e discipulado. Poderíamos ter muitas experiências, realizar muitas coisas, estabelecer relacionamentos com muitas pessoas, mas apenas o encontro com Jesus, naquela hora que Deus conhece, pode dar pleno significado às nossas vidas e tornar nossos projetos e iniciativas frutíferos.

Não basta construir uma imagem de Deus com base em rumores; deve-se buscar o Mestre divino e ir aonde Ele habita. O pedido dos dois discípulos a Jesus: “Onde você mora?”, tem um forte sentido espiritual: expressa o desejo de saber onde o Mestre vive, e de estar com Ele. A vida de fé consiste no desejo de ser com o Senhor e, portanto, em busca contínua do lugar onde ele mora. Isso significa que somos chamados a superar uma religiosidade habitual e óbvia, revivendo o encontro com Jesus na oração, na meditação sobre a Palavra de Deus e no atendimento aos sacramentos, para estar com ele e dar frutos graças a Ele, à Sua ajuda, a Sua graça.

Procurando por Jesus, encontrando Jesus, seguindo Jesus: este é o caminho. Procure Jesus, encontre Jesus, siga Jesus.

Que a Virgem Maria nos apoie  para seguir Jesus, ir e ficar onde ele mora, ouvir sua Palavra de vida, aderir a ele que tira o pecado do mundo, para encontrar esperança e impulso espiritual nele.

Sem comentário ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Compartilhe: